banner 900 paraiso 1 real novo

 

Homem argumentou que agrediu jovem de 13 anos por ter perdido virgindade e disse que faria o mesmo com um “filho home”. MP vai recorrer da decisão.

 

Um magistrado do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, de Guarulhos, na Grande São Paulo, absolveu um homem acusado pela própria filha de lhe deixar com lesões nas costas provocadas por golpes de fio de televisão, além de cortar seu cabelo à força. O Ministério Público (SP) informou nesta terça-feira (19) que vai recorrer da decisão.

De acordo com a denúncia protocolada pelo MP, a jovem tinha 13 anos quando foi agredida pelo pai, em janeiro de 2016, após ter descoberto que ela perdera a virgindade com um rapaz com quem estava em um relacionamento sério.

Um laudo aponta que foram produzidas lesões corporais medindo até 22 cm por meio de golpes de fio de televisão. O homem ainda cortou o cabelo da jovem.

“O denunciado, utilizando-se de violência e ultrapassando muito o dever de correção, dominou a filha e subjugou-a, impondo assim a sua vontade e tratando-a como mero objeto sem vontade própria”, dizia a denúncia do MP ao juiz.

Na audiência, realizada no dia 5 de setembro, o juiz Leandro Jorge Bittencourt Cano ouviu os envolvidos, os advogados e promotores.

Palavras do juiz

Ao final, o juiz afirmou que, em seu entendimento, não houve violência de gênero, pois “o réu afirmou categoricamente que, caso tivesse um filho homem e o mesmo tivesse perdido a virgindade aos 13 anos, tomaria a mesma postura”.

Além disso, “a conduta não pode ser considerada criminosa, mas apenas mero exercício do direito de correção”, continuou o juiz, que considerou ainda que “não existem provas suficientes no sentido de que o réu tenha utilizado dos meios disciplinadores de modo excessivo”.

“Quanto ao corte de cabelo, ao que tudo indica, a intenção do réu não era de humilhar a filha, mas apenas de protegê-la de ameaças”, pois “não obstante não fosse o mais adequado, a intenção do réu era que a filha não saísse de casa”, concluiu o juiz Leandro Cano, que absolveu o pai.

 Ministério Público imediatamente manifestou a intenção de recorrer da decisão e, em nota ao G1 nesta terça, confirmou em nota que "a Promotoria de Justiça Criminal de Guarulhos, discordando da decisão, interpôs recurso de apelação e aguarda a total reforma da decisão pelo Tribunal de Justiça".

Fonte: G1

Foto reprodução Agência Brasil

agenciabrasil120402 mca8926

 

Usuários Online

Temos 2500 visitantes e Nenhum membro online

Publicidade página cidades

Reis estetica automotiva logo limpa nova logo

 

 

 

ivonete panfleto novo

 

banner luizinho

 

 

 

Fale com Magaiver

magaiverwtsapp

Fale conosco

Assine e receba novidades

900X150 MAGAIVER

Nossa Empresa

  • Estamos localizados na Bartolomeu Bueno da Silva, 105 sala 02 - Bairro Recreio dos Bandeirantes - Guaxupé - MG CEP: 37.800-000 - Brasil
  • Nosso e-mail é Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Nosso fone e whatsapp (35) 9 8894 9505
  • Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei nº 9.610, de 19/02/1998. Nenhuma parte deste site, sem autorização prévia por escrito dos responsáveis, poderá ser reproduzida ou transmitida sejam quais forem os meios empregados: eletrônico, mecânicos, fotográficos, gravação ou quaisquer outros.

JORNALISTA DIRETOR

MAGAIVER10

Curta nossa página

Sem título
 

 

Configurações do Site

Cor

Escolha uma das cores abaixo:
Azul Laranja Vermelho

Corpo

Cor de fundo
Cor do texto

Cabeçalho

Cor de Fundo

Destaque 3

Cor de Fundo

Destaque 4

Cor de Fundo

Destaque 5

Cor de Fundo

Rodapé

Selecione um tipo de menu
Fontes do Google
Tamanho da fonte
Tipo da Fonte
Direção